19 de out de 2010

Por que sou Católico?

"Estai sempre prontos a responder para vossa defesa a todo aquele que vos pedir a razão de vossa esperança..." (1Pd 3,15).




Paz e Bem irmãos!

Me chamo Pedro, faço parte da Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, no Roger, atualmente sou Catequista de Crisma, coordeno o EJC e também integro um ministério de música da paróquia. 

Foi com muita alegria que aceitei o convite para ser colaborador aqui do blog. Daqui em diante estaremos crescendo espiritualmente e aprendendo juntos, a amar cada vez mais, a Igreja de Nosso Senhor! 

Nos tempos presentes tornou-se frequente escutarmos frases de tal cunho: “filho, todas as religiões são boas, não importa que sejamos Luterano, Espírita, do Candomblé, Zen, Maçônico, Budista ou Católico, o importante é que Jesus pregou o Reino na compreensão, na humildade, e na fraternidade entre os povos... então nossos esforços devem estar concentrados sempre em favor de atos que congreguem e não para segregar”.  

Parece bonito, mas, infelizmente e desgraçadamente esse discurso está também na boca de nossos Sacerdotes. Já explico porque digo infelizmente.

Ora, sabemos muito bem que o princípio da unidade é a Verdade, de modo que é impossível algo ou alguém conceber Verdade estando em si, dividido, fragmentado, pois que a Verdade deixaria de ser objetiva, passando a ser particular.

Cada qual possuiria uma parte dessa Verdade, sendo impossível alguém possuí-la por inteiro.

Cada um tem a sua.

Nada mais mentiroso que isso!

O nosso querido Papa, Bento XVI, tem lutado bravamente contra essa onda de relativismo e essa moda de pluralismo religioso que se instalou na mentalidade moderna.

E é exatamente aí que nós entramos.

Você, Católico, não professa “uma” verdade, mas,” A” Verdade!

Cristo é A Verdade, e sendo Deus Encarnado, manifestou-Se a nós e nos deu a conhecer Aquele que é A Verdade por Excelência.

Isso nos torna diferente de qualquer religião. Pois Buda não é Deus, Maomé não é Deus, Zoroastro não é Deus, Confúcio também não é Deus e nem pretende ser.

Se Cristo é Deus, e manifestou intenção de fundar uma Igreja, ela existe e deve ser facilmente reconhecida.

Essa Igreja deve ser portadora da Verdade.

Por isso, ela deve ser infalível em sua Doutrina e sua Moral!

Sabemos que foi a Simão a quem Cristo disse: "Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja" (Mt. 16,18).

Foi sob a autoridade de Pedro que Cristo quis edificar sua Igreja, por isso acrescentou: “Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus...” (Mt. 16,19).

Quem possui as chaves de algo é porque tem autoridade sobre este, e Cristo a deu a Pedro.
Sabemos, ainda, que Cristo ordenou aos Apóstolos: “ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura” (Mc. 16,15); e ainda afirmou: “quem vos ouve a mim ouve” (Lc. 10,16).

Deste modo a Igreja de Cristo deve ser:

1- UNA: pois que a Unidade é pressuposto da Verdade. Não há unidade sem verdade. Una na Fé, um só Batismo, uma só doutrina, um só chefe: o Papa.


2- SANTA: tendo em vista que o próprio Cristo manifestou intenção de fundar Sua Igreja. 



3- CATÓLICA: pois é destinada a todos os povos, ricos e pobres, judeus e gentios, sábios e ignorantes, de todas as raças, ou seja, Universal.


4- APOSTÓLICA: as autoridades devem derivar dos próprios Apóstolos, assim como estes derivam de Cristo, seu fundador. Seu legado invariavelmente deve ter sucessão nos Apóstolos de Cristo.

Por isso somos Católicos!
Pois somente a Igreja Católica conserva a pureza da unidade. Em todos os cantos do mundo, em todas as 
partes onde está presente Ela é a mesma.

Por isso somos Católicos!
Pois é nesta Igreja, que Cristo se faz verdadeiramente e substancialmente presente, sob as espécies do Pão e do Vinho, que torna-se Corpo e Sangue no Sacramento do Altar, dando-lhe em seu coração a Santidade do Seu Senhor.

Por isso somos Católicos!
Pois esta Igreja percorre e percorreu longos dois mil anos anunciando o Evangelho de seu Senhor a todas as criaturas viventes.

Por isso somos Católicos!
Porque nesta Igreja se conserva, por vontade divina, o “depositum fidei” que Cristo legou aos Apóstolos.
Pois, nesta Igreja, a promessa de Cristo se concretiza!

“Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo.”(Mt 28,20)

Por isso, sou Católico, pela graça de Deus!