21 de set de 2010

Como se confessar bem

O sacramento da confissão, desde o AT, é prefigurado ( Nm 5,7; Eclo 4,31; Ne 9,2-6) e Jesus o instituiu:
"Àqueles a quem perdoardes os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos"(Jo 20,23). Também Tg 5,16.

Trazemos aqui um Exame de Consciência para lhe ajudar na hora de confessar-se.

Para pensar: A confissão é um sacramento e para tanto é preciso preparar-se bem. Evite de conversar ou distrair-se. Coloque-se na presença de Deus e pedindo o auxílio do Espírito Santo faça o seu exame de consciência. Depois aproxime-se do confessor (que representa Cristo) com confiança e humildade. Sem rodeios confesse os seus pecados chamando-os pelo nome, sem citar nomes de pessoas ou entrando em detalhes desnecessários nem mesmo omitindo coisas importantes.

Quando tempo faz que eu não me confesso?

Para com Deus:

Amei o Senhor procurando conhecê-lo e servi-lo? Desacreditei de Deus, duvidei da minha fé? Deixei de esperar em Deus colocando minha confiança somente nas minhas idéias, nas coisas ou nas pessoas? Quis salvar-me sozinho, esperando somente nas minhas capacidades ou virtudes? Fui indiferente e ingrato para com Deus? Hesitei em responder à vontade divina? Revoltei-me contra Deus? Passei a viver como se Ele não existisse, me amasse e cuidasse de mim? Prestei culto de adoração ao pecado e aos ídolos deste mundo?

Rezei com perseverança, assiduidade e devoção? Cumpri os votos e promessas que fiz ao Senhor? Fui supersticioso (acreditei em horóscopos, amuletos, etc)? pratiquei a adivinhação, o espiritismo e a magia? Envolvi-me com esoterismo? Coloquei Deus à prova? Pratiquei sacrilégio (profanei ou tratei indignamente os sacramentos ou lugares sagrados?) invoquei o nome de Deus com desrespeito ou em vão? Disse blasfêmias ou lancei pragas em nome de Deus? Fiz juramentos falsos? Respeitei o domingo como dia do Senhor (dia de descanso, de oração e de fraternidade?) Participei integralmente da celebração eucarística com atenção e devoção? Participei da missa nos dias santos?

Para com o próximo e para consigo mesmo Amei, honrei e respeitei meus pais e a todos aqueles que possuem autoridade sobre mim? Dialoguei, ajudei verdadeiramente estas pessoas de modo a não tornar-me um peso para elas? Fui arrogante e desobediente? Amei, ajudei e busquei o bem dos meus filhos e dos que dependem de mim? Fui arrogante e autoritário com eles? Usei da minha autoridade para me promover ou para simplesmente manipulá-los? Procurei tomar consciência dos valores a serem vividos na política e na sociedade de modo a participar na transformação do mundo?

Matei alguém? Pratiquei o aborto, desejei a morte de alguém? Tentei o suicídio? Esqueci que a vida é dom de Deus e que eu sou administrador e não dono da minha vida? Dei escândalo, isto é mau exemplo levando os outros a pecar (com minhas palavras, minhas atitudes, meu jeito de vestir, de falar? Cuidei da minha saúde e da saúde dos outros? Fui vaidoso cultuando o meu corpo? Exagerei na comida ou estraguei minha saúde com álcool, com o fumo? Usei drogas (o que é falta grave)? Respeitei e amei os doentes, os mais fracos, os necessitados e pobres? Fiz distinção das pessoas?

Discriminei as pessoas por serem de outra cor, por serem de outra religião ou por pensarem de modo diferentes ou por serem pobres ou marginalizadas? Perdoei sinceramente quem me ofendeu? Guardei mágoas, ressentimentos? Julguei os outros pela aparência? Cultivei antipatias? Desprezei alguém? Usei de agressividade e desrespeito com os outros? Fui agressivo, arrogante, intolerante, mau educado? Cultivei a ira, o ódio? Falei mau das pessoas (especialmente as ausentes) ao invés de conversar com a pessoa interessada? Caluniei alguém? Disse mentiras? Procurei dialogar ao invés de discutir?

Procurei ouvir as pessoas? Aceitei as críticas construtivas? Fui exibido, quis aparecer? mendiguei o aplauso ou o reconhecimento dos outros? Tentei de ajudar os outros com meu conselho, com minhas atitudes concretas de ajudas (materiais e espirituais) possíveis? Fui apegado a coisas materiais? Idolatrei o dinheiro? Roubei, furtei ou desviei dinheiro ou bens materiais que não tinha direito? Debochei das pessoas, humilhei-as? Respeitei os bens do próximo (suas coisas materiais, suas virtudes e capacidades, as pessoas que estão junto delas?), tive inveja, cobicei os bens do próximo?

Cumpri com responsabilidade e dedicação os meus deveres (profissionais, de estudante)? Fui preguiçoso, ocioso, acomodado? Respondi positivamente e vivi a minha vocação (o chamado que Deus me fez)? Guardei a castidade do meu corpo e da pureza da minha alma? Cultivei deliberadamente pensamentos impuros e que desonram a sexualidade querida por Deus? Olhei de modo indecente ou cobiçoso as mulheres ou homens? Vi revistas ou assisti programas pornográficos?

Pratiquei a masturbação? Pratiquei a fornicação (relações sexuais fora do matrimônio? Com pessoas do mesmo sexo no homossexualismo? Com namoros indecentes, com carícias exageradas ou intimidades que não são lícitas para namorados e noivos? Namorei de modo descompromissado (“ficar”) só para me satisfazer com o outro? Pratiquei sexo usando crianças? Com animais?) Usei de métodos anti-concepcionais condenados pela Igreja? Fui fiel ao meu esposo(a) em olhares, atitudes, pensamentos, comportamentos? Acolhi com fé e amor os filhos que Deus me envia?

Depois da confissão: escute atentamente os conselhos do confessor e responda com sinceridade as perguntas que ele eventualmente lhe fizer. Reze em seguida o ato de contrição.
ATO DE CONTRIÇÃO:

MEU DEUS EU ME ARREPENDO DE TODO O MEU CORAÇÃO POR VOS TER OFENDIDO PORQUE PECANDO OFENDÍ A VÓS QUE SOIS BOM E DÍGNO DE SER AMADO SOBRE TODAS AS COISAS. PROMETO COM A VOSSA GRAÇA DE NÃO MAIS PECAR E DE FUGIR DAS OCASIÕES PRÓXIMAS DE PECADO. MEU JESUS MISERICÓRDIA.
Receba a absolvição (o perdão que o sacerdote lhe dará).

Ao se afastar do confessor:

Não se distraia, nem vá conversar. Coloque-se em oração e cumpra a penitência mandada pelo padre. Depois disso agradeça a Deus porque Ele foi misericordioso e bondoso perdoando os seus pecados.